2 inquestionáveis motivos para promover currículo internacional em sua escola em 2019.

Updated: Feb 15, 2019


Entre 2004 e 2016, o número de estudantes internacionais que partiram para fazer ensino médio nos EUA mais que triplicou — quase 82.000 alunos, segundo o Instituto de Educação Internacional.


"...a experiência na educação americana básica permite que os estudantes, se sintam mais confortáveis em situações sociais internacionais"

1 – Nova geração de alunos entrando no curso superior.

Com o aumento do número de estudantes brasileiros e internacionais que fazem ensino básico nos Estados Unidos, Canadá e em outros países de língua Inglesa, bem como com o aumento do número de escolas que estão oferecendo High School no Brasil, na Ásia, e outros continentes, as universidades em geral passaram a receber uma nova geração de alunos, mais globalizados, conectados e aptos a lidar com paradigmas universais.

Resta claro que estudantes de uma escola internacional não só estão aprimorando a sua comunicação por meio de uma língua, como também estão passando por um processo de aprendizado e sedimentação de conteúdos acadêmicos e necessários à sua formação na busca de soluções para os desafios globais. Segundo Stephen Lanier, diretor de admissões internacionais na Universidade de Tulsa, para alunos internacionais com proficiência acadêmica em Inglês, dois anos em um high school podem ser uma grande ajuda na preparação de uma vida universitária. E para aqueles alunos com inglês mais básico, três anos, ou os quatro anos completos, é a melhor opção para aprimoramento e aquisição de uma formação linguística acadêmica e de excelência.

Além da compreensão do Inglês, segundo Jon Weller, diretor de admissões internacionais na Universidade de Cincinnati, a experiência na educação americana básica permite que os estudantes, se sintam mais confortáveis em situações sociais internacionais.

Afinal, as universidades dos Estados Unidos e de outros países do mundo, como Canadá, Holanda, Austrália, Inglaterra dentro outros, estão procurando e promovendo bolsas para alunos que desejam beneficiar seus estudos no desenvolvimento e compreensão de questões universais tornando-os líderes globais mais expressivos.

2 - O Mercado de Educação e Profissional Internacional

A experiência no High School ajuda os estudantes a se familiarizar com o sistema educacional internacional, e garante uma transição mais suave para a educação superior do século XXI. Afinal, o high school foi especificamente projetado pra preparar seus estudantes para a faculdade!

“Observamos que alunos que estudam um ou dois anos em um high school se adaptam mais facilmente ao conteúdo de nível superior, criam amizades mais diversas, procuram suporte acadêmico extra e se envolvem mais em atividades extracurriculares,” diz Orlina Botevza, diretora do Departamento de Programas Internacionais na Universidade de Maine.

Relatos de estudantes internacionais confirmam que a experiência no high school não só os preparou para os testes padronizados (como o SAT e ACT dentre outros), como ajudou a escrever aplicações mais eloquentes para bolsas e vagas na faculdade, além de um grande diferencial no mercado de trabalho que buscam profissionais que possam ter mobilidade linguística e cultural comprovadas.

E se você pudesse oferecer aos seus alunos o currículo Internacional por meio de uma diplomação híbrida?

Essa é a proposta da WorldEd International School, escola americana que promove currículo oficial desde a Educação Infantil ao Ensino Médio. Por meio de um currículo híbrido (brasileiro e americano) nossas escolas parceiras oferecem a possibilidade para seus alunos de se graduarem com dois diplomas além de uma série de matérias eletivas internacionais. A WorldEd por ser escola regular, oferece a parceria por um valor acessível, com o objetivo de democratizar o ensino internacional no Brasil elevando o aluno brasileiro ao nível de aluno global— um verdadeiro visto para o mundo!

#highschool #estudarnoseua #educação #bilingue #HighSchool #worlded

27 views
<- Language Selection
Support
Accreditation
Membership
Standards